sábado, 23 de julho de 2011

Testamento Espiritual para um amigo.




TESTAMENTO ESPIRITUAL PARA UM AMIGO.


Se você recebeu uma cópia deste é porque o considero um amigo. E não se preocupe, nem se culpe, com remorso desnecessário, se a recíproca não for verdadeira.



Entendo que todo o sentimento altruísta tem origem na alma humana, portanto a raiz é Celestial; e sendo assim deve ser reconhecido como plena doação. Outro alerta que faço é em relação à aceitação de tudo o que será dito neste texto, pois já estou ciente, e em paz, que a grande maioria não aceitará. Essa reação, no entanto, é absolutamente normal e esperada. Apesar disso tomo a liberdade de fazer três pedidos ao amigo:


1º - Acredite na minha mais absoluta sinceridade de propósito;

2º - Faça circular entre seus familiares e amigos, pois se eles são caros para você também o serão para um verdadeiro amigo. Pode inclusive tirar xérox, quantas precisar;

3º - Guarde esta, ou uma cópia, pois com certeza, em breves anos, lembrar-se-á dela e precisará lê-la novamente.


Humanamente falando, sabe-se que quanto maior é a fortuna, mais extenso é o testamento. No campo espiritual não é diferente, pois ainda é muito mais abrangente. No entanto, troca-se o nome da moeda, a medição não é mais feita em reais, dólares, euros, mas simplesmente em fé; tão pequena ao escrever e tão forte e poderosa no viver, após reencontrá-la.


Este é o primeiro grande mistério, o misterioso alicerce da fé. Sabemos que precisamos dela e sentimos muito sua falta nos momentos difíceis da vida; aí como nos lamentamos se a perdemos ou se nunca a tivemos. Será que chegamos a perdê-la totalmente ou nunca a tivemos?

Vamos questionar juntos: será que alguma coisa, não importa o que seja que não damos a mínima atenção, não valorizamos e não nos dedicamos, poderemos mantê-la ou fazer desenvolver-se?

A resposta é fácil e lógica: Claro que não! Pois assim também ocorre com a nossa fé. Vivemos no mundo, para o mundo e pelo mundo, como se apenas a ele pertencêssemos, ou seja, meros animais racionais, frutos e obras do acaso de uma explosão sideral que tudo gerou e de uma evolução natural que tudo justificou. Portanto, sem DEUS, sem alma e sem eternidade, meros animais quadrúpedes que aprenderam a ser bípedes. Isso prega o mundo, os cientistas e a ciência.

Você também acredita piamente nisso, sem a mínima dúvida e insegurança, e fica em paz? Creio que não, e aí aparece o primeiro sintoma de que você tem fé, mesmo que nem você tenha consciência disso e ela seja uma tênue chama de um finíssimo e curtíssimo pavio.


Meu amigo acredite, eu teria ânimo e paciência para escrever páginas e páginas de um resumo que encerra-se os cinco mil anos de história, desde que DEUS, pela primeira vez , manifestou-se ao gênero humano, na face da terra, na pessoa de Abrão, chamado depois de Abraão. Porém nem você conseguiria ler tudo até o final.


Mais uma vez afirmo não ter preocupação se este texto não for inicialmente valorizado, porque se algo realmente tivesse chegado em minhas mãos há doze anos atrás, sinceramente não teria dado o valor merecido.

Por que digo isso? Eu também era uma pessoa que só tinha olhos para o mundo e as coisas dele, não dando a mínima atenção para o espiritual, Celestial e Divino. E o que mudou durante esse período? O sofrimento inesperado, aqueles acontecimentos tristes e trágicos que são notícias na televisão, nos jornais e que nós achamos que só acontece aos outros.

Porém estamos redondamente enganados, há qualquer momento pode chegar a nossa vez: um acidente grave, a invalidez, a morte, uma doença repentina, uma moléstia incurável, um filho seqüestrado, drogado, etc, etc, etc. E aí o desespero o vazio o nada... Em que agarrar-se, quem buscar, de onde tirar forças para enfrentar qualquer uma dessas duríssimas situações?


Sinceramente meu amigo, foi aquela diminuta chama, de uma lamparina trêmula, em que tinha se transformado minha fé, que me sussurrava no fundo do coração: “Procura DEUS, busca ELE, volta para ELE...” E eu mesmo me retrucava: “Mas se ELE realmente existe, depois de tantos anos distante DELE, sem dirigir-lhe uma única palavra, com certeza não vai querer saber mais de mim...”

 

Saiba meu amigo, ELE é um DEUS incrível, ÚNICO em Suas Três Pessoas, PAI, FILHO, ESPÍRITO SANTO, mas impressionantemente presente, ciente e poderoso. Foi só buscá-LO com profunda sinceridade e arrependimento de todos os meus pecados e faltas de longos anos, que ELE começou, com suavidade e nos mínimos detalhes, a mostrar-se presente com Sua amorosa, misericordiosa e Paternal condução. Sua Mão invisível e poderosa começou a conduzir minha vida em todos os sentidos, resgatando-me de sofrimento pouco a pouco, enquanto ajudava-me a aumentar e fortalecer a minha fé.


Por tudo isso, meu amigo, hoje e até o último segundo de minha vida eu afirmarei: DEUS é fiel, sim, sempre, os infiéis somos nós, filhos ingratos, quando nos esquecemos DELE: O PAI Criador, o FILHO Salvador e Redentor e o ESPÍRITO SANTO, Santificador!


Este foi o meu retorno para a autêntica Paz e Luz, o caminho, a Verdade e a Vida: JESUS!

Medite sobre esta afirmação: “Durante a vida, quando você encontrar a cruz, purifique-se, para que caiam as escamas de seus olhos, e você enxergará JESUS!”

 

O que tenho usado na jornada: A Bíblia Sagrada, os 10 Mandamentos, os Sacramentos, a Oração, a Santa Missa, a EUCARISTIA, o Terço, o Escapulário de Nossa Senhora e o Símbolo maior do Amor de DEUS para com os homens: O Crucifixo.

 

Amigo, quer viver a verdadeira Paz, confiança e segurança, converta-se, busque e encontrarás o Amigo dos amigos, o Pai dos pais, o Rei dos reis, nosso Senhor JESUS CRISTO, o Ressuscitado e VIVO entre nós!


“Nós muitas vezes fraquejamos em nossa fé, mas JESUS nunca fraqueja em seu Amor por nós!”

 

“DEUS constantemente aguarda pelo nosso retorno. ELE gostaria que sempre fosse por amor. Mas também nos acolhe com carinho Paternal se for pela dor. O importante é que retornemos ao porto seguro de seu Sacratíssimo Coração!”

 

                                                                           Miguel Jorge.


Nenhum comentário: