sábado, 26 de março de 2011

O que sao as seitas protestantes?

O protestantismo negando tanto a Tradição quanto o Magistério sofre desde os seus primórdios uma desintegração doutrinária assombrosa. Onde Cristo fundou a Igreja Católica sobre a Rocha, Lutero e Cia fundaram a igreja Evangélica sobre a areia movediça da sola scriptura e do livre exame. E logo nas primeiras ventanias, pôs-se a casa dos reformadores a desabar fragorosamente: tábuas lançadas aqui e ali, telha lá e acolá, junturas e cacos em todas as direções.

Vejamos como no princípio deste século, o Reverendíssimo Pe. Leonel Franca já chamava a atenção para este fato, descrevendo lucidamente o processo de desagregação doutrinária do protestantismo, baseado no método da sola scriptura e do livre exame: "Na nova seita (protestantismo) não há autoridade, não há unidade, não há magistério de fé. Cada sectário recebe um livro que o livreiro lhe diz ser inspirado e ele devotamente o crê sem o poder demonstrar; lê-o, entende-o como pode, enuncia um símbolo, formula uma moral e a toda esta mais ou menos indigesta elaboração individual chama cristianismo evangélico. O vizinho repete na mesma ordem as mesmas operações e chega a conclusões dogmáticas e morais diametralmente opostas. Não importa; são irmãos, são protestantes evangélicos, são cristãos, partiram ambos da Bíblia, ambos forjaram com o mesmo esforço o seu cristianismo" ( In I.R.C. Pg. 212 , 7ª ed.).
Vejamos alguns exemplos práticos: um fiel evangélico quer mudar de seita? Precisa-se rebatizar? Umas igrejas dizem sim, outras não. Umas admitem o batismo de crianças, outras só de adultos, umas admitem a aspersão, infusão e imersão. Aquela outra só imersão, e mesmo há grupelho que só admite batismo em água corrente e sem cloro! Aqui e ali as fórmulas de batismo são tão variadas como as cores do arco-íris. Quer o sincero evangélico participar da Santa Ceia? Há seitas que consideram o pão apenas pão (pentecostais) outras que o pão é realmente o corpo de Cristo (Luteranos, Episcopais e outros). Uns a praticam com pão ázimo, outras com pão comum, aqui com vinho, lá com vinho e água, acolá com suco de uva. A Santa Ceia pode ser praticada diariamente, mensalmente, trimestralmente, semestralmente, anualmente ou não ser praticada nunca. Trata-se de ministérios ordenados? Esta seita constitui Bispos, presbíteros e diáconos. Àquela só presbíteros e pastores, alí pastores e anciãos, lá Bispos e anciãos, acolá presbíteros e diáconos, outras não admitem ministro nenhum. Umas igrejas ordenam mulheres, outras não. E por aí, atiram os evangélicos em todas as solfas quando o assunto é ministério ordenado.
Após a morte, o que espera o cristão? Pode um crente questionar seu pastor sobre isto? E as respostas colhidas entre as denominações seria tão rica e variada quanto a fauna e a flora. Há Pastor que prega que todos estarão inconscientes até a vinda de Cristo quando serão julgados; outros pregam o "arrebatamento" sem julgamento; outros, uma vida bem-aventurada aqui mesmo na terra; aqueles lá doutrinam que após a morte já vem o céu e o inferno; no outro quarteirão, se ensina que o inferno é temporário; opinam alguns que ele não existe; e tantas são as doutrinas sobre os novíssimos quanto os pastores que as pregam. Está cansado o fiel da esposa da sua juventude? Não tem importância, sempre encontrará uma seita a lhe abrir risonhamente as portas para um novo matrimônio. E de vez em quando não aparece um maluco aqui e ali aprovando a poligamia?
Lutero mesmo admitiu tal possibilidade: "Confesso, que não posso proibir tenha alguém muitas esposas; não repugna às Escrituras; não quisera porém ser o primeiro a introduzir este exemplo entre cristãos" ( Luthers M.., Briefe, Sendschreiben (...) De Wette, Berlin, 1825-1828, II. 259 ). Não há uma pesquisa nos Estados Unidos que demonstra que entre os critérios para um evangélico escolher sua nova igreja está o tamanho do estacionamento? Eis o que é hoje o protestantismo.
Vejamos neste passo a afirmação de Krogh Tonning famoso teólogo protestante norueguês, convertido ao catolicismo, que no século passado já afirmava: "Quem trará à nossa presença uma comunidade protestante que está de acordo sobre um corpo de doutrina bem determinado ? Portanto uma confusão (é a regra ) mesmo dentre as matérias mais essenciais" ( Le protest. Contemp., Ruine constitutionalle, p. 43 In I.R.C., Franca, L., pg 255. 7ª ed, 1953)
Mas o próprio Lutero que saiu-se no mundo com esta novidade da sola scriptura viveu o suficiente para testemunhar e confessar os malefícios que estas doutrinas iriam causar pelos séculos afora: "Este não quer o batismo, aquele nega os sacramentos; há quem admita outro mundo entre este e o juízo final, quem ensina que Cristo não é Deus; uns dizem isto, outros aquilo, em breve serão tantas as seitas e tantas as religiões quantas são as cabeças" (Luthers M. In. Weimar, XVIII, 547 ; De Wett III, 6l ). Um outro trecho selecionado, prova que o Patriarca da Reforma tinha também de quando em quando uns momentos de bom senso: "Se o mundo durar mais tempo, será necessário receber de novo os decretos dos concílios (católicos) a fim de conservar a unidade da fé contra as diversas interpretações da Escritura que por aí correm" ( Carta de Lutero à Zwinglio In Bougard, Le Christianisme et les temps presents, tomo IV (7), p. 289).

Um comentário:

stefan disse...

ELOS ENTRE PROTESTANTISMO, MAÇONARIA-OCULTISMO E SOCIALISMO-COMUNISMO
O protestantismo, em seus primórdios, teve no dissenso Lutero seu idealizador vários princípios gnósticos, incluindo-se tendências igualitaristas e deístas subjetivistas, dentre outros, como: aversão a poderes superiores, no caso, ao poder hierárquico ortodoxo-doutrinário exercido pela Igreja Católica àquela época.
Convém notar que as religiões holísticas orientais, como a Yoga, seicho-no-ie, etc., têem conteúdo aproximado, ao se enquadrarem em suas práticas semelhantes às de auto realização pessoal intermediadas por exercícios transcendentais.
Lutero evidenciou-se em suas ações por suprimir a hierarquia eclesial e sua rígida doutrina tradicional patrística por um sistema mais flexível e pessoal, em que pessoas e comunidades possuíssem autodeterminação bíblico-exegética e se instituirem como próprios pastores, os quais ensinam a seu modo pessoal ou conveniência; o resultado doravante foi o espoucar de centenas de seitas em que cada uma doutrina a seu modo ou conveniência, um Evangelho conversível a situações e interesses...
Sabe-se que desse conjunto ideário independenticionista existia a antiga esoterista maçonaria de antes do cristianismo, de Babilônia, do antigo Egito, etc., em legislação atual formalizada por J Anderson, pastor presbiteriano, que por sinal nos EUA e Europa os vínculos são mais próximos com o protestantismo, e que influenciaram a Revolução Francesa em seus princípios - igualdade, liberdade e fraternidade - idem o kardecismo e o comunismo, o qual é por sinal apenas a transposição de idéias de Lutero-maçonaria para a práxis socialista, comunista, igualitarista e o modernismo atual, em que a doutrinação do sistema vigente é igual, de um homem acima de tudo e todos, pelo menos na sua proposta, de fato, uma tremenda farsa.
Há vídeos na Net e em literatura específica em que pastores se acusam reciprocamente de pertença à Maçonaria ou admitem-no, e em que são descritos os vínculos de ambas agremiações e praticamente é inexistente oposição maçônica explícita às diversas denominações evangélico-protestantes como à Igreja Católica.
Não há qualquer sombra de dúvidas de que o orgulho e soberba e estão sutilmente camuflados sob essas comportamentos e que o progresso, a ciência e o modernismo tecnológico, cada vez mais resolvendo os problemas humanos estão a serviço de um reino Luciferino que poderá eclodir, de um homem auto realizador, tão cego e não pecebendo cair sob nova tutela, e de quem...
Inexistem diferenças entre os acima e o pecado inicial do homem no Éden, ou se preferir, aliar-se a Satanás em seu desejo de ser igual a Deus, oferecido e aceito por nossos pais e que muitos atualmente o admitem e praticam.