quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Tomate, alface e morango são os mais contaminados por agrotóxicos.

Diz a Sagrada Escritura:
A terra está cheia de adultérios e está em luto esta terra maldita. As pastagens do deserto ressecaram e os homens correm para o mal. É a iniqüidade que lhes dá forças. (Jr 23,10)


Tomate, morango e alface são produtos com mais resíduos de agrotóxico

23/04/08: Ministério da Saúde encontra até substância proibida na produção de alimentos.
Uso de agrotóxico vetado desde 2006 será investigado pela Polícia Federal.
Levantamento do Ministério da Saúde mostra que mais de 40% das amostras de tomate, morango e alface analisadas em 2007 pelo Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos continham índices de contaminação por agrotóxicos acima do permitido pela lei.
O tomate foi o produto que mais apresentou resíduos de agrotóxicos em levantamento do Ministério da Saúde (Foto: Divulgação)
O caso mais grave foi o do tomate. Técnicos do ministério encontraram em amostras do produto monocrotofós, substância que teve o uso proibido no Brasil em novembro de 2006, em razão de sua alta toxicidade. De acordo com o levantamento, 44,72% das amostras continham excesso de agrotóxicos.
 Na produção de tomate de mesa também foi detectada a presença de metamidofós, agrotóxico autorizado apenas para a cultura de tomate industrial (plantio rasteiro). A substância também foi encontrada em morangos e alface, produtos para os quais seu uso é vetado.

Os dados são do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (Para), coordenado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em parceria com as Secretarias Estaduais de Saúde. No balanço geral, dos nove produtos avaliados (alface, batata, morango, tomate, maça, banana, mamão, cenoura e laranja), o índice de amostras insatisfatórias ficou em 17,28%.
As amostras de morango analisadas ficaram em segundo lugar no ranking de contaminação: 43,62% das amostras tinham resíduos de agrotóxicos além do permitido. O alface vem logo a seguir, com 40% das amostras reprovadas.

Outros produtos, porém, tiveram redução na quantidade de resíduos. A batata, que em 2002, teve 22,2% das amostras com excesso de agrotóxicos, neste ano apresentou apenas 1,36% de casos fora dos limites. A maçã, que chegou a ter índice de 5,33%, teve incidência de 2,9% de casos no ano passado.

O Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos foi criado em 2001 para monitorar a segurança alimentar do consumidor e a saúde do trabalhador rural. O Programa é realizado em 16 estados e deve chegar a todo o país até 2009, segundo o Ministério da Saúde. As amostras de produtos são selecionadas em pontos de venda pelas vigilâncias sanitárias dos estados e municípios.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai encaminhar todos os resultados ao Ministério da Agricultura (Mapa), responsável pela fiscalização das lavouras, para adoção de medidas. O Ministério da Agricultura deve reforçar orientação sobre o plantio a produtores.
Polícia Federal
O uso de substância proibida, como o monocrotofós, encontrada no levantamento, foi denunciado à Polícia Federal e ao Ministério da Agricultura, para que seja investigada a venda do produto.

A partir deste ano, outras oito culturas passarão a ser analisada: abacaxi, arroz, cebola, feijão, manga, pimentão, repolho e uva. Atualmente são analisadas as culturas de alface, batata, morango, tomate, maçã, banana, mamão, cenoura, laranja.
Fonte: G1.

Tomate, alface e morango são os mais contaminados por agrotóxicos, mostra Anvisa
23/04/08: BRASÍLIA - De cada dez pés de alface à venda em feiras e supermercados, quatro estão contaminados por resíduos de agrotóxicos. Cerca de 40% do tomate e do morango consumidos pelos brasileiros contêm vestígios irregulares de defensivos. Os dados são do relatório do Programa Nacional de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (Para), divulgado hoje (23) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
Das 1.198 amostras analisadas pela agência no ano passado, 207 apresentaram resultados insatisfatórios, ou seja, mais de 17% do total de alimentos continha resíduos de agrotóxicos não autorizados ou acima do limite máximo permitido.
Os casos mais preocupantes são as culturas de morango (com 43,6% de contaminação), de tomate (com 44,7%) e de alface (com 40%).
O aumento nos resíduos de agrotóxicos encontrados em tomate, alface e morango em 2007 pode ser correlacionável com o súbito acréscimo observado na importação de agrotóxicos por países da América do Sul, incluindo o Brasil, segundo o documento.
Na avaliação do pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Nozomu Makshima, o aumento da contaminação do tomate, que cresceu 42% em relação a 2006, se deve ao uso pouco criterioso dos agrotóxicos pelos produtores. Eles aplicam [agrotóxicos] sem muito critério. Os resíduos permanecem por causa da freqüência com que o produtor aplica, ele não obedece o período de carência, aponta.
De acordo com Makshima, o alto índice de amostras de alface com resíduos de agrotóxicos merece atenção redobrada por se tratar de uma cultura muito sensível ao uso de defensivos, além do alimento ser consumido sem preparo, cru. Normalmente o que a gente nota no caso de folhosas é contaminação por microorganismos, não por resíduos químicos, pondera o pesquisador da Embrapa Hortaliças.
Outros seis alimentos que estão regularmente na mesa do consumidor brasileiro também foram analisados em 2007 e registraram resíduos irregulares de defensivos agrícolas: banana (4,3%), batata (1,36%), cenoura (9,9%), laranja (6%), maçã (2,9%) e mamão (17,2%). Foram usadas na análise amostras de 16 estados de todas as regiões do país, além dos municípios de Belo Horizonte, Curitiba e São Paulo.
Entre as substâncias encontradas nos alimentos estão ingredientes ativos de diversos tipos de agrotóxicos, como endossulfam, acefato e metamidofós, que, de acordo com a Anvisa, são conhecidos pela neurotoxidade e riscos de desregulação endócrina e toxicidade reprodutiva.
Uma portaria da agência de fevereiro deste ano determinou a reavaliação toxicológica desses e de outras 11 ingredientes ativos, que pode, inclusive, resultar na proibição do uso dessas substâncias nas lavouras brasileiras.
Em 2008, segundo a Anvisa, o Programa Nacional de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos vai acrescentar abacaxi, arroz, cebola, feijão, manga, pimentão, repolho e uva à lista de culturas agrícolas analisadas.
(Agência Brasil)
Fonte: G1.

Nenhum comentário: