domingo, 31 de outubro de 2010

Domingo é o dia de o Brasil dizer não à Ditadura.

Enquanto para muitos estas eleições foram as piores - e culpam os cristãos por isso -, elenco esta como a que entrará para a história deste país e do mundo. Falo isso respaldada em tudo o que ocorreu desde o primeiro dia, do primeiro ato de campanha eleitoral. Não me lembro de nenhuma outra eleição em que temas tão sérios - como o aborto e corrupção - tenham saltado às vistas. Creio piamente que nem José Serra, nem Dilma Rousseff, muito menos Lula criam que haveria esta reviravolta. Certamente eles acreditavam que seria mais uma daquelas eleições mornas em que prometem algo que não vão cumprir, além de se vangloriarem por algo que não conquistaram.

Prova disto são os exemplos da candidata do atual Governo. Já me cansei em vê-la dizer que a dívida externa foi paga, quando não o foi; de vê-los gloriando-se pelo Bolsa-Família, mas em 2002 chamava-a de esmola governamental. O Brasil melhorou? Muito! Mas isso nao se deve "apenas" ao PT. O Brasil não mudou em 08 anos. O Brasil vinha mudando. E Lula herdou de FHC um plano econômico do qual ele (o Lula) SEMPRE criticou, e que, "ironicamente" o promoveu para o mundo; modelo do qual se apossou sem pagar direitos autorais.

É verdade que o desemprego é um dos mais baixos da história recente e o salário mínimo está recuperando o valor de compra. Também é fato que milhões de brasileiros deixaram a pobreza nos últimos anos. E o Brasil passou quase incólume pela crise financeira internacional que, em 2008, foi um tsunami no mundo. Devemos crescer até 7% este ano.

Diferente do que dizem, Lula não encontrou o Brasil quebrado, mas com a economia saneada pelo Plano Real que, em 1994, quebrou a espinha dorsal da hiperinflação. Aliás, eu me lembro de uma época em que o Real valia mais que o Dólar! E Lula era contra o Plano Real. Hoje ele, certamente, não deve achar nada ruim gastar seu salário em reais. Muito menos seu filho.

Agora: como não chamarmos o Plano Real de inclusão social? A hiperinflação era o imposto mais cruel que caía sobre os pobres e os trabalhadores que, até então, viam cada vez mais dias sobrarem ao final dos seus salários. E o Lula era contra este plano. Então, a que tipos de pobre o Lula era favorável?

FHC saneou o sistema financeiro. Depois do Plano Real, grandes bancos perderam receita inflacionária e quebraram. FHC criou o Proer e restabeleceu a confiança dos depositantes. Quando a crise internacional de 2008 bateu aqui, os bancos estavam saneados e não houve a quebradeira que aconteceu nos EUA e Europa. Em 2008, Lula anunciou que mandaria uma cópia do Proer para ajudar a sanear os bancos dos EUA. Criação do FHC que Lula se beneficiou.
FHC criou a Rede de Proteção Social que desenvolveu cinco programas sociais, entre outros: o bolsa-escola, o bolsa-alimentação (iniciativa de Serra quando ministro da Saúde), o vale-gás, o programa de erradicação do trabalho infantil e o programa para jovens em situação de risco. Em 2002, essa rede beneficiava 37,6 milhões de brasileiros, com investimento de R$ 30 bilhões. E todos estes programas foram reunidos por Lula, nominando-os Bolsa Família. É verdade que aí economizamos em criações de cartões (afinal, para cada programa, tinha um cartão) mas isso é apenas uma questão de logística. Sanear as dificuldades não foi prioridade dele. Isso já ocorria. Ele deu continuidade.

Contra o voto do PT, FHC criou o Fundef, que colocou 97% das crianças entre 7 e 14 anos da sala de aula e aumentou os salários dos professores, principalmente no Norte e Nordeste. No Planalto, Lula esqueceu o que dissera sobre o Fundef e “criou” o Fundeb, também sem pagar direitos autorais. Lula e o PT se opuseram à Lei de Responsabilidade Fiscal, que acabou com a gastança de prefeitos e governadores. Ao assumir o Ministério da Fazenda, Antônio Palocci tratou de anunciar que respeitaria essa lei. Lula e Palocci também anunciaram que haveria um prazo de dois anos para permitir a transição da política econômica de FHC para uma “política dos trabalhadores”. A política de FHC continua sendo executada até hoje, oito anos depois... E ainda acusam FHC de ser “neoliberal”...

Com o projeto Ficha-limpa, apenas o PT se opôs. Será por que, a começar pela candidata ao Governo pelo partido, a ficha é suja?
Os petistas dizem que FHC quebrou o monopólio do petróleo, quando na verdade o monopólio passou para a competência da União e a Petrobrás ficou liberada para firmar parceria com empresas estrangeiras. Foi a atuação da Petrobrás com a British Petroleum e a portuguesa Galp que permitiu a descoberta do megacampo de Tupi e do petróleo do pré-sal.

O PT foi contra a privatização das telecomunicações. Com o monopólio da Telebrás, telefone era item de declaração obrigatória ao Imposto de Renda.. Depois da privatização, o telefone celular anda no bolso até das faixas mais pobres da população. Hoje, existem mais celulares no país do que brasileiros...

O PT condenou, até com pontapés, a privatização da Vale do Rio Doce. Entre 1943, ano da fundação, e 1997, quando foi privatizada, a Vale investiu, em média, US$ 481 milhões por ano e teve lucro líquido de US$ 192 milhões. De 1998 até 2009, a CVRD investiu US$ 6,1 bilhões e teve lucro de US$ 4,6 bilhões. O recolhimento de impostos saltou de US$ 31 milhões para US$ 1,093 bilhão por ano.

Embora tivesse denunciado essas privatizações como “neoliberais”, Lula não mexeu nelas. Então, Lula também é neoliberal, afinal de contas, na campanha de 2002, ele chegou a apontar a privatização da Embraer como modelo.

Lula extinguiu, em 2006, os mutirões criados por José Serra e que atendiam os mais idosos e pobres, operando-os de catarata, varizes, próstata, câncer de mama e colo de útero. A conseqüência foi a explosão dos casos de cegueira por catarata entre os brasileiros mais pobres. A fila de espera por uma cirurgia de catarata não é de menos de seis meses. (Eu, por exemplo, estou há dois anos na fila para um exame oftalmológico).

José Serra tem 40 anos de história. Foi presidente da UNE, quando ela era, ainda, a União Nacional dos Estudantes e não um covil de pelegos. Exilou-se no Chile, em 1964. Foi secretário do Planejamento do governador Franco Montoro e coordenou a organização do plano de governo de Tancredo Neves.
Lula e o PT dizem que lutaram pela redemocratização. Eles mentem, de novo, pois ficaram contra a eleição de Tancredo Neves no colégio eleitoral.

Como deputado, Serra tirou do papel o FAT que, hoje, dá um oxigênio ao trabalhador que fica desempregado. Como Ministro da Saúde, Serra criou os genéricos. Anunciou que as patentes de remédios não poderiam prevalecer sobre a saúde e conquistou o apoio da Organização Mundial da Saúde. Desde então, as patentes dos medicamentos podem ser quebradas em caso de risco de pandemias ou emergências. Serra multiplicou por 9 as equipes do Programa de Saúde da Família. Criou também os mutirões de saúde. E promoveu campanhas de vacinação para os idosos.

Já Dilma Rousseff faliu como dona de uma lojinha que vendia produtos a R$ 1,99 em Porto Alegre. Secretária das Finanças de Porto Alegre, deixou a Prefeitura falida, como denunciou o seu sucessor, Políbio Braga. Ministra das Minas e Energia, Dilma apagou do site do MME as realizações do Luz no Campo criado por FHC. Depois, “inventou” o Luz para Todos, também sem pagar direitos autorais. Escolhida candidata, indicou Erenice Guerra para substituí-la na Casa Civil. Erenice tratou logo de arrumar “bolsas-família” e confortáveis sinecuras para o maridão, os filhos, os irmãos, os cunhados, os namorados e as namoradas dos filhos e velhos amigos.

A corrupção moral que o PT vem fazendo há uma década mostra que o Partido dos Trabalhadores não faz nada em prol do trabalhador. A não ser, é claro, pelos "seus" trabalhadores. Votar em Dilma é dar vazão a mais corrupções, a mais imoralidades. Eu não quero ver Pallocci, Dirceu, Genuíno, Erenice, Marcos Valério e tantos outros que já nos roubaram na era Lula roubar mais ainda e ouvir Dilma (assim como Lula) que nada viu, que não sabia de nada e que fotos e gravações não dizem nada. Não. Chega de distorção da realidade, dos valores, da verdade.

Não há dúvidas de Dilma será manipulada por Lula, tal qual Isabelita Perón que, ao suceder o marido, Juan Domingo Perón, como presidente da Argentina, na década de 70, não conhecia o país (vivera na Espanha) e nem o Partido Peronista. Tornou-se refém do ministro da Previdência, José López Rega, que era um fascista e iniciou uma guerra de extermínio contra os peronistas de esquerda. O país mergulhou numa guerra civil não declarada e na hiperinflação. Os militares deram um golpe e enfiaram a Argentina nas trevas da ditadura e da “guerra suja” das quais não se recuperou até hoje. E José Dirceu já percebeu as fraquezas de Dilma. Quando anunciou que a sua eleição seria o fortalecimento do PT, estava se candidatando a ser o López Rega de Dilma.

Eu não quero que Dilma e Dirceu  transformem o Brasil numa imensa Argentina. E sei que o Brasileiro não quer também. Tanto que, diferente de Lula e Dilma, FHC venceu em primeiro turno. O brasileiro está mostrando que quer sim uma política de qualidade. Não é o Lula quem determina o voto. É a democracia quem o determina. E as pessoas devm votar movidas pelas suas convicções. E aí onde entra os cristãos. Diferente de toda a imprensa que vomitou contra o Papa, alegando que ele não tinha o direito de se manifestar, digo que ele tinha não apenas o direito, mas o DEVER. Para estes eu digo que o Papa é Chefe de Estado também. E o povo de seu estado não mora apenas nas paredes do Vaticano; moram no mundo. Assim como Lula, Obama, Chávez e Morales, o Papa fala a todos os que lhe pertencem. Ele tem todo o direito em um mundo Laico orientar para que não se percam. E como diria Santo Agostinho: "Roma disse, dito está". Não há mais desculpas para padres, bispos e leigos afirmarem contra. Foi Pedro quem disse. E ele está com Cristo.E Cristo é pelos pobres, mas não numa visão comunista, que como disse Winston Churchill, o "COMUNISMO É CONTRA A ÍNDOLE DO POVO BRASILEIRO, e o socialismo/comunismo é uma filosofia do fracasso, o credo da ignorância e o evangelho da inveja. Sua virtude inerente é a distribuição equitativa da miséria", ou como sugerem Frei Betto, Padre Julio Lancellotti e Leonardo Boff. Cristo quer que os pobres tenham seus direitos assegurados pela Justiça, não pela Ditadura.
Creio que as palavras do Papa é um sinal de que Deus tem ouvido a prece desta nação. E creio que no Domingo teremos a resposta. É a oportunidade de dizermos NÃO à ditadura de imprensa, religiosa, ideológica e de vida que o atual governo  nos impõe.


Não perca esta oportunidade.

Vote bem.

Que Nossa Senhora Aparecida liberte o Brasil das arruaças comunistas, separe o joio do trigo e socorra esta Terra de Santa Cruz.

Nenhum comentário: